A CULTURA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, A IGUALDADE, O BEM-ESTAR SOCIAL E O BEM COMUM DA HUMANIDADE NA PERSPECTIVA DA ÉTICA DA LIBERTAÇÃO

  • Andressa Zanco Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Santa Catarina
  • Maria Aparecida Lucca Caovilla Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Santa Catarina
Palavras-chave: Desenvolvimento econômico, Ética da libertação, Igualdade

Resumo

Este artigo analisa e descreve como a cultura do desenvolvimento econômico está se expandindo de forma a ignorar as características intrínsecas aos seres humanos e à natureza, valorizando, consequentemente, a busca incessante de lucro, resultando em contextos desiguais na América Latina. A ética da libertação, de Enrique Dussel, e a ideia de bem-estar social, de Amartya Sen, podem ser alternativas ao desapego de conceitos desenvolvimentistas falaciosos. Neste sentido, busca-se demonstrar que as relações entre os seres humanos, a natureza e o capital devem ser revistas, a fim de promover a igualdade, o bem-estar e o bem comum por meio de um desenvolvimento libertador.

   

Biografia do Autor

Andressa Zanco, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Santa Catarina

Advogada. Mestranda em Direito pela Universidade Comunitária de Chapecó/SC - UNOCHAPECÓ. Pesquisadora do grupo de pesquisa Direitos Humanos e Cidadania e do grupo de pesquisa Direito, Democracia e Participação Cidadã, da UNOCHAPECÓ. Graduada em Direito pela Universidade do Oeste de Santa Catarina - UNOESC.

Maria Aparecida Lucca Caovilla, Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó), Santa Catarina

Doutora em Direito (2015) na área de concentração Direito, Política e Sociedade e Mestre em Direito (2000) pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Docente do Curso de Graduação em Direito e do Programa de Pós-Graduação (Mestrado) em Direito da Unochapecó; Coordenadora do projeto de pesquisa Observatório de Políticas Constitucionais Descolonizadoras para a América Latina; Coordenadora do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos e Cidadania; Integrante do Projeto de Extensão Comunitária Jurídica (PECJur); Coordenadora de atividades acadêmicas do Doutorado Interinstitucional em Direito realizado na UFSC em convênio com a Unochapecó; Membro da Rede Internacional para o Constitucionalismo Democrático Latino Americano.

 

Referências

BIAGINI, H. E.; PEYCHAUX, D. F. O neuroliberalismo e a ética do mais forte. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2016.

BOBBIO, N. Igualdade e liberdade. 3ª edição. Rio de Janeiro: Editora Ediouro, 1997.

CANOTILHO, J. J. G. Direito constitucional e teoria da constituição. 7ª edição. Coimbra: Editora Almedina, 2000.

DUSSEL, E. Ética da Libertação: Na idade da globalização e da exclusão. 4ª edição. Petrópolis: Vozes, 2012.

HOUTART, F. Dos Bens Comuns ao ‘Bem Comum da Humanidade’. Bruxelas: Fundação Rosa Luxemburgo Bruxelas, 2011.

LAFER, C. A reconstrução dos direitos humanos. 6ª reimpressão. São Paulo: Editora Companhia Das Letras, 2006.

OLIVEIRA, H, M. A filosofia da libertação como desmitologização a modernidade. Disponível em: http://www.marilia.unesp.br/Home/RevistasEletronicas/Kinesis/Artigo07.H.Mandotti.pdf. Acesso em: 19 de julho de 2017.

OLIVEIRA, I, A.; DIAS, A,S. Ética da Libertação de Enrique Dussel: caminho de superação do irracionalismo moderno e da exclusão social. Disponível em: http://www.ucs.br/etc/revistas/index.php/conjectura/article/download/1798/1129. Acesso em: 19 de julho de 2017.

ROCHA, E. P. G. O que é etnocentrismo. 5ª edição. São Paulo: Brasiliense, 1988.

SANTOS, B. S. Produzir para viver: os caminhos da produção não capitalista. 3ª edição. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2012.

SANTOS, L. G.; MURARO, M. Uma visão de Marx a partir da filosofia da libertação de Enrique Dussel. Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/artigos/?cod=204da255aea2cd4a. Acesso em: 19 de julho de 2017.

SARLET, I. W. A eficácia dos direitos fundamentais. 12ª edição. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2015.

SEN, A. Desigualdade reexaminada. Rio de Janeiro: Record, 2001.

SEN, A.; KLIKSBERG, B. As pessoas em primeiro lugar: a ética do desenvolvimento e os problemas do mundo globalizado. São Paulo: Companhia das Letras, 2010.

SIDEKUM, A.; WOLKMER, A. C.; RADAELLI, S. M. (Orgs.) Enciclopédia latino-americana dos direitos humanos. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2016.

SUZE, P.; BRAMBILLA, B. B. Subjetividade e ética na América Latina ou o cinismo e a potencialidade da práxis da libertação. Nova Petrópolis: Nova Harmonia, 2016.

Publicado
25-05-2020
Como Citar
Zanco, A., & Caovilla, M. A. L. (2020). A CULTURA DO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, A IGUALDADE, O BEM-ESTAR SOCIAL E O BEM COMUM DA HUMANIDADE NA PERSPECTIVA DA ÉTICA DA LIBERTAÇÃO. Revista Jurídica Da FA7, 17(1), 51-63. https://doi.org/10.24067/rju7,17.1:904